Notícias

Tendências do consumidor moderno: O que vai ditar o seu comportamento e decisões daqui pra frente?
O último ano foi atípico e de muitas mudanças, reinventando a forma como nos relacionamos e, também, como compramos. Com a pandemia do novo coronavírus, o ritmo de transformação do mundo foi acelerado. Mudanças que eram previstas para acontecer dentro dos próximos dez anos, se tornaram realidade em apenas alguns meses. Por isso, saber o que esperar a seguir se tornou um desafio ainda maior.
A melhor forma de buscar respostas é usando os dados para conhecer profundamente o consumidor e entender os movimentos da sociedade. É por isso que compilamos aqui os melhores insights obtidos a partir dos dados do estudo “Consumidor do Futuro 2022”, da WGSN, empresa especializada em previsão de tendências.

Sentimentos dos consumidores
Todas as mudanças causadas pela pandemia influenciaram diretamente os sentimentos dos consumidores, levando-os a repensar vários aspectos da vida e, consequentemente, alterar seus comportamentos.
Medo, dessincronia, resiliência e otimismo são sentimentos compartilhados ao redor do mundo, processo facilitado pela sociedade ultraconectada. O estudo da WGSN define esses quatro sentimentos como peças-chave para entender os novos padrões de comportamento.
O medo é considerado um unificador global e demográfico, mesmo que cada geração o demonstre de forma diferente. Incertezas ambientais e financeiras são questões que impactam todas as idades. A ecoansiedade está determinando questões como sair de casa ou não, enquanto a incerteza financeira aumenta junto com os índices de instabilidade econômica e desemprego.
Já a dessincronia social - que quer dizer que o ritmo de cada pessoa é diferente e variado - reflete em comunidades se desfazendo, pois há uma falta de interação consistente, e a pandemia contribuiu muito para isso ao transformar completamente a rotina.
Apesar disso, ainda é possível identificar os sentimentos de resiliência e otimismo, que guiam para outro caminho e despertam a coragem para imaginar um futuro mais positivo.

Perfis dos consumidores do futuro
A partir desses sentimentos, a WGSN traçou três perfis de consumidores do futuro.
Os estabilizadores se mostram cansados do excesso de informação e priorizam o equilíbrio em todos os âmbitos da vida. Para eles, menos é mais. Esse tipo de consumidor busca experiências de varejo simplificadas, compras tranquilas e relacionamentos transparentes com as marcas.
Já os comunitários querem redefinir a rotina global e agitada de trabalho urgentemente. Eles esperam uma integração maior das empresas com as comunidades onde vivem, com foco na economia circular e no ativismo social.
Indo contra os níveis crescentes de medo e ansiedade, os novos otimistas buscam uma relação mais ‘alegre’ com as empresas, esperando soluções de vendas tecnológicas.

Hora de agir
Para finalizar o estudo a WGSN apontou pontos de ação para lidar com os novos comportamentos dos consumidores, destacando a simplicidade no processo de compra, tanto nas lojas quanto on-line, e a evolução dos serviços sob demanda, pois os varejistas que disponibilizarem plataformas que permitam compras e entregas coletivas atrairão o público.
Se, por um lado, a tendência é que os varejistas se importem cada vez mais com a presença e experiência digital, por outro, cresce também a importância do tratamento humanizado, em que os sentimentos e interesses dos consumidores são entendidos, interpretados e priorizados. Tudo indica que isso se tornará um diferencial competitivo fundamental.
“Mesmo enquanto nos apoiamos na conectividade digital para sobreviver a este momento de turbulência, é o nosso anseio por conexão humana que moldará as nossas vidas a partir de agora”, destaca Carla Buzasi, Diretora geral da WGSN.
Dia dos Namorados combina com PRESENTES! Chame atenção para sua loja e venda muito mais!
Junho é um mês muito importante para as lojas, pois é o mês em que celebramos o amor e sabemos que essa comemoração movimenta bastante as vendas no comércio.

Faça uma decoração com elementos que lembrem a data, os objetos decorativos são importantes para a composição da vitrine. Mas você deve usá-los com cuidado, afinal, eles devem agregar valor aos seus produtos e não chamar mais atenção que eles.

A iluminação é um item importante na decoração da vitrine. Ela tanto ajuda a compor o clima que o tema exige, quanto direciona o olhar do consumidor para pontos estratégicos e realça características dos produtos.

Na hora de expor seus produtos, foque nas necessidades e desejos dos clientes. Existem aqueles que acabaram de se conhecer, aqueles que namoram há bastante tempo e mesmo aqueles que já são casados há anos.

Se você planejar com antecedência, a sua decoração vai ficar muito impactante e poderá alavancar as vendas da loja, afinal nessa data muitos casais gostam de trocar presentes e celebrar, portanto aproveite a data e boas vendas.
Sem custos: como reconquistar o caminho do sucesso com a ajuda de especialistas
CDL oferece consultoria especializada e gratuita em parceria com Faccat e Sebrae
Diversas são as estratégias que podem ser empregadas para melhorar a gestão dos negócios. Seja para otimizar recursos e processos, tornar as equipes mais eficientes e produtivas, para aprimorar ou até mesmo reposicionar uma empresa no mercado. Porém, nem todos os empreendedores conseguem dedicar tempo e atenção para avaliar ou sequer vencer todas as demandas e questões que envolvem o seu dia a dia. Nesse contexto, a consultoria é uma forte aliada para identificar soluções mais rápidas, focadas e adequadas à realidade de cada negócio. Pois, além de envolver toda a gestão, alguns processos também podem ser mais pontuais, direcionados a setores específicos como financeiro, jurídico, recursos humanos, comunicação e marketing, por exemplo. Nesse sentido, além da assessoria do escritório de advocacia Magali Flocke Haag, associados da CDL têm acesso a consultorias especializadas e gratuitas disponibilizadas por meio de importantes parcerias mantidas com instituições como Sebrae e Faculdades Integradas de Taquara (Faccat). Com isso, é possível contar com um olhar altamente capacitado para fortalecer sua empresa, atingir suas metas e prosperar diante de qualquer cenário.

Na Faccat, conte com o Núcleo de Apoio Empresarial (NAE)
Conforme o coordenador Luiz Fernando Neves, o Núcleo de Apoio Empresarial (NAE) da Faccat oferece atendimento a empresas de qualquer porte, estejam elas já formalizadas ou buscando por sua formalização. “No início da pandemia tivemos várias demandas na área financeira e, ultimamente, muitas na questão de gerenciamento e acompanhamento das mídias sociais, afinal, está todo mundo vendendo pela internet!”, destaca Neves. Aliás, em tempos de isolamento social, as atividades do NAE, que são realizadas internamente, na sede da Faccat, também passaram a ocorrer por meio de reuniões virtuais.
De qualquer forma, interessados em contar com esse apoio podem ligar para a Faccat, para o número (51) 3541-6673, ou fazer contato pelo e-mail fneves@faccat.br. Então, nesta primeira conversa, o coordenador do NAE procura entender o que a empresa está buscando para, em seguida, definir o foco e encaminhar o empresário para o professor especializado na área de suas necessidades. “Enquanto houver demanda, estaremos lá, atuando de modo bem pontual e diretamente ao foco”, ressalta o Neves. Segundo ele, todos os professores que têm horas na Faccat contribuem com a consultoria que pode ser relacionada a qualquer disciplina que integra os cursos da instituição. Seja para resolver dificuldades financeiras a parir das Ciências Contábeis, seja para rever fluxo de processos a partir da Engenharia de Produção. “Mesmo sem implantar ferramentas, ajudamos a acolher e a apagar incêndios, pois mais da metade dos casos requer ouvir as demandas e indicar os caminhos”, comenta o coordenador do NAE. Além disso, o núcleo da Faccat também possui parceira com o Sicredi na realização de cursos de gestão financeira pessoal e empresarial.

No Sebrae, agende a consultoria através da CDL
Durante os primeiros meses da pandemia, a consultoria do Sebrae, que costuma contar com visitas de especialistas à sede das empresas, também passou a ser disponibilizada por videoconferência. Agora, com a normalização das atividades, o atendimento segue direcionado pelo cliente, que recebe do consultor as proposições e soluções mais adequadas ao seu negócio. Para participar, basta solicitar o agendamento do serviço na CDL, que fica responsável por designar um consultor para auxiliar seu associado. Então, a partir de um diagnóstico da situação atual, o especialista poderá sugerir algumas ferramentas de gestão, finanças, marketing, planejamento e tributação. Dessa forma é possível melhorar as vendas, entender como cobrar corretamente por seus produtos e serviços e colocar a administração de sua empresa no caminho para o sucesso.
Para manter a energia: saiba usar a alimentação para garantir mais disposição ao dia a dia
Muito mais do que saciar a fome, os alimentos cumprem funções essenciais à saúde e ao bom funcionamento do corpo. Por isso, a alimentação saudável tem conquistado cada vez mais atenção à mesa. Pois, além de garantir as condições nutricionais mais adequadas ao seu cotidiano, uma dieta equilibrada é capaz de melhorar seu sistema imunológico e, consequentemente, reforçar as defesas do seu corpo. Sem contar que o alimento é a principal fonte de energia das pessoas. “É a alimentação que vai nos garantir a disposição necessária para nossa rotina, tanto no trabalho quanto em nossa casa”, enfatiza a nutricionista do Sesi, Aline Weber.
Diante disso, a nutricionista propõe que cada pessoa faça uma autoavaliação de suas condições atuais. “Como é que eu estou? Eu me sinto saudável, disposto, animado ou mais cansado?”, questiona Aline. Segundo ela, ao identificar uma necessidade de mudança, o essencial é ter autoconhecimento e equilíbrio para fazer escolhas saudáveis na maioria dos dias. Neste contexto, reconhecer os sinais que o corpo dá é fundamental para identificar o que mais lhe faz bem. Afinal, ao ingerir um alimento, é possível perceber determinadas reações desencadeadas por ele. “Ao comer um tipo de alimento, eu observo se ele me fez bem, se me trouxe benefícios como disposição, energia, ou se não. Se me fez sentir estufada, inchada, com distensão abdominal”, exemplifica. Aline também comenta que nem sempre é válido reunir informações genéricas sobre o que comer, especialmente quando se quer reduzir peso. “É bem importante lembrarmos de que se trata de uma questão individual. Pois, às vezes, o que funciona para um não funciona para outro”, alerta a nutricionista.

Saúde em 360°
Embora muitas pessoas procurem por um profissional de nutrição com o foco em emagrecer, adotar uma dieta balanceada traz benefícios para o corpo como um todo. Afinal, as escolhas alimentares influenciam na saúde intestinal, gástrica e até mesmo na saúde mental. Por isso, além das particularidades de cada indivíduo, há dicas da nutrição tradicional que são universais. Como investir em hidratação, no consumo diário de frutas e verduras – em torno de 5 porções, e de fibras, encontradas especialmente nos grãos integrais e nas sementes. Ao mesmo tempo, Aline destaca a importância de observar a mastigação, o tempo dedicado a cada refeição e como está a absorção do alimento pelo organismo. “Vale lembrar que o intestino é considerado como nosso segundo cérebro”, ressalta a nutricionista, que explica que a função do sistema digestivo vai muito além de processar a comida e está diretamente relacionada ao bem-estar geral do corpo. Principalmente por causa das inúmeras bactérias boas que são produzidas no intestino e que dão origem a hormônios como a serotonina, substância capaz de regular o sono, o apetite, a temperatura do corpo, o humor e até mesmo as funções intelectuais.
Além disso, muitas células responsáveis pelo sistema imunológico vivem no intestino, o que transforma o órgão num grande aliado no combate a doenças. Nesse contexto, Aline comenta que rotina e equilíbrio são fatores fundamentais para ampliar as defesas do organismo e potencializar a imunidade. “Eu preciso de um tempo utilizando alimentos saudáveis, ricos em vitaminas, em minerais, em antioxidantes, para que o sistema imunológico esteja mais preparado para combater os patógenos invasores, que normalmente são células virais e bactérias”, explica. Além disso, a nutricionista ressalta a importância de evitar os alimentos considerados inflamatórios, que são aqueles ricos em gordura e açúcar. Pois além de prejudicar a saúde, também atrapalham os níveis de produtividade.

Vitaminas para potencializar a imunidade
Vitamina D – como ela é ativada pela luz solar, invista na exposição ao sol por pelo menos 15 minutos ao dia.

Vitamina C – encontrada nas frutas cítricas como bergamota, laranja, limão, morango, acerola, kiwi.
Vitamina E - ela está diretamente relacionada com as células T e B do sistema imune e é encontrada principalmente nas oleaginosas, como castanhas e nozes, e na semente de abóbora.

Zinco – é um mineral que estimula a produção de anticorpos, células que participam do sistema imunológico. Ele é encontrado na carne vermelha, na semente de abóbora, no amendoim, nas castanhas (consuma sem sal ou açúcar).
Em busca de flexibilização
Nesta quinta-feira 18 de março, o presidente da nossa Entidade, Reginaldo Hessler, participou da reunião com o Secretário Chefe da Casa Civil, Artur Lemos e o Deputado Dalcisio Oliveira para buscar flexibilização dos protocolos para comércio e serviços. Hesller esteve presente em todos os encontros, sempre buscando o melhor para a economia de Parobé.

Participaram também deste encontro outras CDL's da região.
O que você deve saber antes de seguir a moda das startups
Com o advento do empreendedorismo social e a inovação na produção de bens e serviços focados em soluções de problemas do cotidiano, muitos brasileiros têm investido no sonho de ter o próprio negócio. Porém, ultimamente o mercado de trabalho está vivenciado uma onda de startups, que transformou o termo numa verdadeira moda. Por isso, antes de aderir a essa tendência, é importante saber o que ela representa e o que a diferencia de uma empresa tradicional.
De forma simples e resumida, uma startup é uma empresa que se distingue dos modelos tradicionais a partir da inovação. Aliás, vale destacar que uma startup não se limita aos negócios digitais, mas, principalmente, chega para substituir processos engessados e revolucionar as relações de mercado. Além disso, agrega características que envolvem um modelo de negócio inovador, repetível e escalável diante de um determinado cenário de incertezas. Por exemplo: em seu modelo de negócios, o foco não está necessariamente no produto, mas no valor e, consequentemente, na rentabilidade. Em outras palavras, é baseado em como o negócio soluciona a dor do cliente de forma lucrativa. Por essa razão, geralmente o desafio está em criar algo inovador ou adaptável, que possa atingir um grande volume de clientes e gerar ganhos rápidos.
Ao mesmo tempo, uma startup precisa lidar com escalas potencialmente limitadas e repetíveis. O que, de fato, inviabiliza muitas customizações ou adaptações, visto que a meta é multiplicar e crescer cada vez mais, sem que isso influencie no modelo de negócios. Diante disso, criar uma startup é fugir do tradicional e apostar em algo que dificilmente terá um manual para o sucesso. Afinal, todos os passos do empreendedor costumam ser minimamente incertos e, por sua falta de capital de risco é que tanto se fala em investimento para startups. Sobretudo pelas dificuldades em persistir num modelo de negócios até que ele comece a gerar resultados de maneira sustentável. Nesse contexto de incertezas, surge o produto minimamente viável, também conhecido como MVP, e que tem o objetivo de validar uma solução e ajudar a entender o que o cliente realmente quer gastando o mínimo possível.

Para entender os diferentes tipos de startups
Além do próprio termo startup, muitos outros conceitos e siglas invadiram o mercado de trabalho nos últimos anos. Logo, conhecer alguns deles é fundamental para manter sua atualização nos negócios. Veja alguns destaques:

B2B (Business to Business)
Na tradução para o português, Negócios para Negócios, que representam um tipo de startup que atende outras empresas ao invés do consumidor final diretamente. Como ocorre no caso de um fabricante que atende um atacadista, ou um atacadista que atende um varejista, por exemplo.

B2C (Business to Consumer)
Trazido para o português, os Negócios para Consumidores são startups que fornecem um serviço para o consumidor final. Como ocorre no caso de uma loja virtual que atende o consumidor final.

B2B2C (Business to Business to Consumer)
Em português, Negócios para Empresas para Consumidores, refere-se a uma empresa que faz negócios com outra visando à venda para o cliente final. Ou seja, pode ser entendida como uma plataforma de marketplace, que é mediada por uma empresa e agrega outras lojas virtuais para alcançar mais acessos e ofertas para os consumidores finais.
Além dos tipos, também existem os nichos de atuação que, nesse caso, representam a área de negócios da empresa. Logo, são aqueles termos como FinTech, HealthTech, EdTech, LawTech, entre outros. Essas nomenclaturas são aplicadas para definir, respectivamente os ramos financeiro, de saúde e medicina, de educação e de direito.

Para assimilar a relação entre startup
e empreendedorismo
Assim como fundar uma empresa tradicional, ter uma startup é uma aventura diária que demanda muita disposição e proatividade. Aliás, algumas características são essenciais para identificar um perfil empreendedor. Por exemplo:

Autonomia
Empreendedores são capazes de assumir a responsabilidade por suas decisões e têm independência na definição de seu sucesso. Inclusive, esse é um dos principais motivos pelos quais as pessoas abandonam seus empregos para empreender.

Dedicação
Não existe empreendedorismo sem comprometimento e determinação. Afinal, começar seu próprio negócio não significa ter menos trabalho. Pelo contrário: investir num projeto próprio representa acumular tarefas em busca do sucesso.

Disposição para se arriscar
Não existe nenhum cenário em que o empreendedor não precise assumir algum tipo de risco. Aliás, muitas pessoas bem-sucedidas creditam o seu aprendizado e a sua evolução à capacidade de assumi-los, de aprender com os erros e de perseverar a cada ocasião.

Habilidade de construir valor
Empreender não se refere apenas ao fato de abrir um negócio. Afinal, empreender é usar uma startup como uma ferramenta que seja capaz de gerar valor para a sociedade. Nesse contexto, cada vez mais as inovações estão transformando a vida de milhares de pessoas. Sobretudo porque a disrupção dos negócios tem feito com que empresas e profissões fiquem obsoletas muito rapidamente. Dessa forma, o mercado corporativo exige a adoção de uma nova postura: mais rápida, mais competitiva, mais conectada e atualizada.

Startups são negócios com olhar no futuro
Diferentemente de tendências impulsionadas como moda, é importante buscar inspiração nas verdadeiras startups que estão conquistando mercado e até mesmo dominando áreas que antes eram comandadas por gigantes. Afinal, basta pensar como Kodak e Blockbuster perderam espaço para negócios como Instagram e Netflix, que justamente começaram sua trajetória como startups. Do mesmo modo, há vários exemplos entre as maiores empresas do mundo que começaram como startups, com pouquíssimo dinheiro, muito risco, e hoje valem US$ 1 bilhão ou até mais. Entre elas estão o próprio Google, PayPal, Uber, Nubank e iFood.
Inclusive, entre as principais categorias listadas, o setor de fintechs é o mais representativo, seguido das áreas de comércio eletrônico, softwares e serviços e inteligência artificial. Há pouco tempo e especialmente aceleradas pela pandemia, as healthtechs também têm ultrapassado valores de US$ 1 bilhão. Ao atingir esse patamar, as empresas passam a ser chamadas de startups unicórnio, um termo criado em 2013, pelo fundador da Cowboy Ventures o, Aillen Lee.

Doação para Lar de idosos
No dia 12 de março a solidariedade dos nossos associados fez a felicidade dos vovôs.
Como de costume foi feito um contato para identificar as principais necessidades dos Lares e posteriormente foram feitas entregas. Por motivos de preocupação e segurança da saúde da turma da “melhor idade” a entrega foi na rua pelo nosso presidente Reginaldo Hesller aos responsáveis pelos Lares.
O Lar Casa do Vovô recebeu a doação de 4 ventiladores, aparelho conversor para a televisão, um pedido antigo, pois os vovôs queriam olhar os jogos que eram transmitidos apenas pela internet e não tinham como e agora eles podem torcer pelo time do coração e vibrar a cada gol. E também receberam um mimo particular, uma garrafinha com seu nome e sua foto.
O Lar Fênix solicitou itens para curativos, pois estavam com dificuldade para conseguir e receberam também pacotes de gase, micropore, soro fisiológico, máscaras e luvas descartáveis.
Nosso muito obrigado pela sua ajuda, juntos construindo resultados, através da excelência.
Como atualizar sua empresa para a nova versão da Indústria 4.0
A Indústria 4.0 já foi assunto da revista CDL Negócios em sua edição de maio de 2019. Na ocasião, a matéria abordou como as empresas poderiam aproveitar as oportunidades da tecnologia e da transformação digital para se tornarem mais competitivas no mercado. Porém, diante de um cenário pós-pandemia, adotar as tendências desta que é considerada como a 4ª Revolução Industrial será muito mais do que uma questão de estratégia. Representa desde já uma necessidade. Diante disso, abraçar as premissas da Indústria 4.0 é uma das grandes soluções para amenizar a crise e reinventar os negócios.
De modo geral, ela deve contribuir para que um maior número de empresas sobreviva à crise atual. Assim como para encurtar a fase de recuperação ao oferecer soluções estratégicas baseadas em tecnologias como Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (IA), robótica, simulação, segurança cibernética, manufatura aditiva, realidade aumentada, machine learning, computação na nuvem, virtualização, interfaces digitais, Big Data, ciência de dados, tecnologias integradas e muito mais. Afinal, com isso será possível estabelecer uma estrutura tecnológica para que as empresas desenvolvam negócios mais resilientes a médio e longo prazo. Sobretudo em razão dos negócios estarem apoiados nos recursos mais inteligentes do mercado atual. Consequentemente, estarão um passo à frente para sobreviver à crise e preservar a saúde da sua marca no mercado.
Vale lembrar que mais do que implementar soluções que otimizem o funcionamento de processos essenciais para o sucesso de um negócio, a 4ª Revolução Industrial leva a organização para o cenário digital, que foi o grande aliado das empresas durante a quarentena obrigatória imposta pela pandemia do coronavírus. Uma vez que, para muitos empreendedores, os canais on-line foram indispensáveis para manter suas atividades e assegurar o giro da economia. Dessa forma, a transformação digital no mundo corporativo foi acelerada e ajudou a traçar algumas das principais características do “novo normal”, que projeta um cenário comercial criado especialmente para o ambiente virtual. Pois ao empregar políticas tecnológicas, amadurecer e automatizar os processos é possível ampliar o nível de eficiência das atividades, otimizar a capacidade analítica, melhorar a confiabilidade operacional e garantir mais velocidade ao fluxo de trabalho. Consequentemente, a empresa é beneficiada por recursos que facilitam a tomada de decisões, potencializam a segurança de dados, melhoram a navegabilidade na rede, atualizam a infraestrutura de TI e ainda reduzem os custos.
No entanto, os gestores não devem pensar em tecnologia por tecnologia, mas, sim, em quais ferramentas podem realmente fazer a diferença dentro da realidade de seu negócio e, especialmente, quais alternativas serão assimiladas e aceitas por suas equipes e bem compreendidas pelos clientes. Afinal, embora seja chamada como 4ª Revolução Industrial, a Industria 4.0 é baseada numa abordagem que estimula o pensamento coletivo e coloca as pessoas para o centro das tomadas de decisão. Com interações constantes nos processos de criação, desenvolvimento e implantação das melhores soluções para o negócio. A seguir, veja algumas dicas de como manter seu negócio atualizado com a versão recente deste sistema:

Pessoas como foco de atenção
Pensar nas pessoas é, inegavelmente, o foco mais importante para seguir em direção ao futuro do qual não há retorno. Aliás, esse é o elo principal da transformação digital que trouxe uma realidade em que as relações já são diferentes. Afinal, já é possível contratar mais facilmente profissionais de qualquer lugar do mundo e, a partir dessa situação, deve haver uma “guerra por talentos” em algumas áreas. Logo, um programador brasileiro poderá atuar numa empresa de tecnologia da Alemanha, enquanto uma companhia brasileira conseguirá trabalhar com um desenvolvedor indiano, por exemplo. Além disso, haverá maior preocupação com o equilíbrio entre as vidas pessoal e profissional, visto que, a partir da pandemia, ambas passaram a andar ainda mais juntas.

Ponto de ruptura
Em tempos de consolidação da transformação digital não se deve esperar um retorno aos modelos de negócio anteriores. Afinal, a tendência é a de que não haverá a opção de voltar atrás. Principalmente porque muitos consumidores já se adaptaram a pesquisar preços na internet e fazer pedidos online. Diante disso, as lojas físicas assumirão novos papéis que estarão especialmente voltados às experiências e ao relacionamento mantido com os clientes. Enquanto isso, a efetivação das vendas deverá ocorrer mais pelos meios digitais. Então, com o tempo, todos os setores passarão por essa adaptação e, ao longo do processo, quem demonstrar maior disposição e agilidade conseguirá se destacar.

Tudo como Serviço
Grandes projetos tendem a diminuir muito e serão substituídos por serviços que geram valor ao negócio. Afinal, as rotinas estão muito mais dinâmicas e demandam velocidade. Assim, enquanto um projeto de longo prazo pode demorar de seis meses a um ano para ser implementado, a utilização de Modelo Ágil e Tudo como Serviço (XaaS) traz a oportunidade de adaptação para que o benefício seja conquistado em tempo bem menor. Da mesma maneira que o cliente final não quer mais esperar para receber seu produto, as empresas entram na mesma pegada – até para poder atender seu público. Logo, consumir tudo como serviço significa rever a relação da empresa com seus fornecedores. Do mesmo modo, produzir tudo como serviço significa rever a relação da empresa com seus clientes e, em ambos os casos, é preciso rever a relação da empresa consigo mesma, sua cultura e seus processos.

O futuro é hoje
Diante da transformação digital, olhar para o futuro significa estabelecer um planejamento de curto prazo, com foco especial a questões de valores e responsabilidade social, bem como às pessoas que fazem parte do negócio. Nesse contexto, até mesmo os setores mais avessos à utilização da tecnologia deverão modificar sua mentalidade de maneira rápida. Mesmo que uma parcela da população ainda não esteja totalmente habilitada digitalmente, a partir da capacitação destes cidadãos haverá um grande impacto na sociedade. Ao mesmo tempo, produtividade e controle de atividades serão conceitos reavaliados, assim como as questões de segurança e controle de vulnerabilidades. Afinal, o foco estará sobretudo na eficiência e na redução de custos. Então, sua empresa está preparada para hoje?
Lojistas de Parobé e diferentes regiões do RS temem desemprego e agravamento da crise econômica
CDL de Parobé entrega de forma conjunta com CDLs da região do Vale dos Sinos e outras regiões do estado manifesto de contrariedade às medidas restritivas ao comércio

Os representantes de 14 entidades do movimento lojista manifestaram-se através de uma nota oficial entregue ao governador Eduardo Leite, em reunião realizada nesta sexta-feira (05/03). A busca é de uma alternativa para o comércio local, mantendo os estabelecimentos abertos, de segunda à sexta feira, desde que atendidas todas as recomendações e cumprindo todas as exigências com responsabilidade e, no sábado e domingo, o fechamento total das atividades de todos os ramos. Além de CDLs da região do Vale dos Sinos, assinaram o documento presidentes das CDL Igrejinha e Três Coroas, Sapiranga, Rolante e Riozinho, São Sebastião do Caí, Bom Princípio e Uruguaiana.

“Nossas regiões passam por momento de gravidade devido à expansão da COVID-19, mas com a paralisação das atividades econômicas está nos levando a um iminente colapso social e econômico, inclusive refletindo nas atividades consideradas essenciais”, descreve a nota.

O documento também reforça a importância de combater as irresponsabilidades das festas clandestinas, dos estabelecimentos que permitem aglomeração de pessoas, dentre outras, mas permitindo que o comércio possa desenvolver suas atividades com responsabilidade.

As entidades vêm reforçando desde o início da crise sanitária que as empresas redobrem a atenção com os cuidados para o controle da pandemia e isso, vem acontecendo na região, por parte do comércio e indústria.

Assinam o documento as seguintes CDLS
Jorge Stoffel - CDL Novo Hamburgo
Gilberto Luis Muller – CDL Estância Velha - Ivoti
Clarice Teresinha Strassburger – CDL Sapiranga
Reginaldo Fabiano Hessler - CDL Parobé
Omar Hoffmeister – CDL Campo Bom
Carla Daiana Lindol Schonardie - CDL Rolante e Riozinho
Ademir Berlitz – CDL Dois Irmãos
Tatiane Pietrobelli Pereira – CDL Nova Hartz
Ramon Berghann - CDL Portão
Olinto Menegon - CDL São Leopoldo
Renata Schäffer - São Sebastião do Caí
Maurício Liell - CDL Bom Princípio
João Batista Saldanha – CDL Uruguaiana
Vinicio Mateus de Oliveira Morgenstern – CDL Igrejinha - Três Coroas
Redação e coordenação: Marcelo Matusiak
Como o PIX e os novos meios de pagamento vão tornar sua empresa ainda melhor
Se por um lado a nova nota de R$ 200,00 preocupou o comércio em relação à falta de troco, por outro, o desenvolvimento de novos meios de pagamento tem agregado mais praticidade, comodidade e até economia nas relações de consumo. Afinal, a partir de aplicativos, cartões de débito, crédito e máquinas equipadas com tecnologias NFC ou Contactless já é possível realizar pagamentos que não apenas dispensam a necessidade do dinheiro, como também desobrigam o contato físico, visto que a transação ocorre por aproximação.
Outro recurso que se tornou mais popular durante a quarentena foi o QRCode, utilizado em lives para incentivar doações para ações sociais. Aliás, diversos sites, como o www.qrcodefacil.com, por exemplo, são capazes de gerar estes códigos de maneira gratuita e amplamente personalizada. Dessa forma, a tecnologia representa uma maneira acessível e versátil para realizar transações a partir da câmera do celular. Porém, ainda mais atrativo, o PIX foi apresentado como uma grande revolução na maneira como os brasileiros passarão a lidar com o dinheiro. Pois a expectativa é a de que ele deva garantir muitas vantagens, não apenas para quem compra, mas sobretudo para quem vende. Logo, considerar estes novos métodos é uma oportunidade de fazer a diferença para o negócio. Tanto no momento de fidelizar clientes, quanto para agregar mais agilidade e segurança às transações comerciais.

As vantagens do PIX
Lançado no mês de novembro pelo Banco Central, o PIX inova ao viabilizar pagamentos e transferências instantâneas com disponibilidade integral de acesso aos recursos, inclusive para transações entre diferentes instituições. Ou seja, o valor é recebido no ato, a qualquer dia e horário, até mesmo aos finais de semana e feriados. Além disso, o PIX dispensa o uso de cartão físico com senha, de boleto bancário ou da necessidade de trocar uma infinidade de dados financeiros para enviar dinheiro de uma conta para outra. Isso porque o processamento das transações é feito diretamente pelo Banco Central, o que exclui a necessidade de envolver tantos agentes para a aprovação do pagamento. Logo, torna as operações muito mais velozes, cômodas e baratas. Essas vantagens trazem benefícios a todos os compradores e vendedores, pois ao contrário de métodos bancários mais tradicionais como TED e DOC, o PIX não cobra taxas dos clientes.
Dessa forma, o método também representa uma importante estratégia de inclusão, visto que pequenos negócios podem estrear no mercado de maneira mais simples e fácil. Aliás, especialistas acreditam que o PIX será impulsionado principalmente pelo varejo e poderá se sobrepor em relação ao uso do dinheiro em espécie. Afinal, o sistema ajudará as empresas a reduzir o custo de recebimento de pagamentos.

Como funciona o PIX
De acordo com o Banco Central, para aceitar PIX, o varejista deve pesquisar as condições do serviço junto às instituições participantes, como bancos digitais, instituições financeiras e fintechs. Afinal, é importante entender e comparar detalhes como tarifas, funcionalidades e disponibilidade de cada instituição. Além disso, é necessário escolher uma conta transacional para receber o PIX, que é chamada formalmente de Prestador de Serviço de Pagamento, o PSP. Caso o varejista tenha integração com sistemas de automação, também deverá verificar se o sistema oferece a integração.
O PIX está disponível automaticamente para todos os clientes das instituições participantes a partir de 16 de novembro. Então, basta criar suas chaves de identificação, que podem ser: o CNPJ, o número de telefone celular e o e-mail da empresa. Também é possível criar chaves aleatórias que serão formadas por números, letras e símbolos. Tudo isso a partir do aplicativo de sua própria conta PJ. Vale lembrar que pessoas jurídicas podem registrar até 20 chaves por conta da qual sejam titulares.

VOLTAR PARA O INÍCIO