Notícias

Tendências globais e regionais para empreender no pós-pandemia
Recentemente publicado pela consultoria Frost&Sullivan, um estudo sobre as tendências que surgirão como resultado da pandemia da covid-19 apontou nove questões que deverão orientar os negócios em todos os setores. Como já era de se esperar, a tecnologia de ponta faz parte dos diversos movimentos identificados pela consultoria. Entre elas estão: a vida conectada, o trabalho conectado, a saúde digital, o equilíbrio geopolítico, o aumento das capacidades humanas, a automação em operações, as cidades inteligentes, a otimização da cadeia de suprimentos e os avanços tecnológicos.
Em relação à vida conectada, a adoção de serviços sem contato deve acelerar os mercados de automação residencial, ao mesmo tempo em que soluções de segurança e tecnologia ativadas por voz serão cada vez mais comuns. Enquanto isso, a partir da consolidação do trabalho remoto, evidenciará a necessidade de manter informações e projetos armazenados na nuvem, além da demanda crescente por Comunicações Unificadas como Serviço (UCaaS). Outro setor que ganhou força na internet a partir do covid-19 foi a saúde digital, que provou ser possível investir na disrupção e praticar a prestação de serviços aliados à telemedicina e aos “cuidados robóticos”. Nesse contexto, o aumento das capacidades humanas ganha cada vez mais espaço, puxado pelo mercado de análise comportamental, que deve aprimorar os setores de saúde, serviços financeiros e outros, e deve atingir US$ 3 bilhões em receita em 2030, contra US$ 230 milhões em 2019.
Já para manter o fluxo comercial, garantir o abastecimento de produtos essenciais e aumentar a confiança na economia global, as parcerias entre países poderão se tornar mais comuns. Além disso, o foco em automação em operações vai impulsionar a demanda por soluções de gerenciamento remoto de ativos, e os provedores de serviço se concentrarão em estratégias de gerenciamento de dados e modelos de negócios baseados em dados. Por sua vez, a abordagem das cidades inteligentes deve trazer oportunidades de negócios significativas, com um valor de mercado de US$ 2,46 trilhões até 2025. Enquanto isso, a disrupção mais radical deve ser percebida na indústria da cadeia de suprimentos, a partir da criação de inovações com realidade aumentada, realidade virtual, robótica avançada, rastreamento de estoque em tempo real e explorando como a impressão 3D. Para completar, a preparação para pandemias futuras irá acelerar a implantação de soluções de inteligência artificial (IA).

Tendências regionais
Diante de um cenário global, é possível aproveitar essas tendências e aplicá-las com foco regional e local. Para isso, muitas vezes, bastam pequenas adaptações que levem em conta a realidade de cada público. Nesse sentido, contar com uma loja virtual para somar às vendas de uma loja física é um importante modo de acelerar a digitalização da empresa e recuperar o crescimento econômico. Então, resta ao empreendedor conhecer bem o seu cliente e ter condições de se antecipar às demandas, conseguir gerar valor a partir da economia digital e aumentar seus ecossistemas, bem como ampliar a automação de suas operações para oferecer mais opções de autoatendimento.
VOLTAR PARA O INÍCIO