Notícias

Descubra como exercícios físicos e bons hábitos alimentares podem turbinar a produtividade
Nos últimos anos, a alimentação saudável vem ganhando tanta relevância que, inclusive, acabou servindo de base para o surgimento de importantes e lucrativos nichos de mercado. Por sua vez, a descoberta das intolerâncias alimentares abriu caminho para produtos ainda mais diferenciados, como é o caso dos alimentos sem glúten, sem lactose... Assim, atentas à importância de investir em maior qualidade de vida, cada vez mais as pessoas estão entendendo e optando por dietas mais naturais e orgânicas. Afinal, essa é uma forma simples de prevenir doenças e diminuir a necessidade de consultas médicas tão frequentes. Neste contexto, a Educação Física é outra área que ganha destaque, já que manter o corpo em atividade não representa mais apenas buscar a melhor forma. Para além da perda de peso ou do aumento da massa muscular, os exercícios físicos estão diretamente relacionados à saúde.
Formada em Educação Física, Carla Bianca Bragança é personal trainer, professora de dança e proprietária da Academia Espaço Corpo Ativo. Segundo ela, quando realizados regularmente, a partir de uma prática séria e comprometida, as atividades físicas podem agregar muitos benefícios, até mesmo no dia a dia das pessoas. “Por exemplo: os exercícios diminuem a obesidade e o estresse, reduzem a pressão arterial, melhoram as estruturas ósseas, a autoestima e o humor, tornando o dia mais produtivo e garantindo mais qualidade e tranquilidade para quem os pratica”, garante. Contudo, Bianca destaca a importância de contar com o auxílio de um profissional qualificado para ajustar a intensidade e o tempo de repouso para cada atividade. “Mas, em geral, o recomendado é fazer um mínimo de duas aulas ou treinos por semana, de pelo menos 30 minutos cada”, explica. Para aqueles que não conseguem frequentar uma academia, Bianca indica a realização de atividades ao ar livre. “Caminhadas, pedaladas, jogos, dança, o importante é não ficar parado”, incentiva a personal trainer. Mas como fazer para que um exercício físico seja incorporado como um hábito presente à rotina? O segredo, segundo Bianca, é escolher um esporte ou atividade que seja prazerosa para seu praticante, assim como buscar um horário adequado às necessidades de cada um. “Pessoas que dormem muito tarde à noite não devem fazer exercícios às 6h da manhã, pois logo irão desistir”, alerta.
Já em termos de alimentação, quem dá algumas dicas é a nutricionista da clínica Quatro Estações, Keila Gabrieli Sartori. “Felizmente alimentos saudáveis têm ocupado cada vez mais espaço nas mesas, mercados, feiras e eventos, comprovando que é crescente a consciência de que qualidade de vida está ligada a uma alimentação nutritiva, variada e prazerosa”, comemora. No entanto, a nutricionista alerta: pular refeições, recorrer a fast foods ou passar muito tempo sem comer em função dos compromissos de trabalho, são situações que além de prejudicar a saúde, diminuem a energia e aumentam a fadiga do organismo. “Essa falta de equilíbrio na alimentação impacta diretamente no desempenho das tarefas diárias”, explica. A comprovação foi feita por uma pesquisa da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em 2015, que revelou que pessoas com maus hábitos alimentares têm índices de produtividade 20% menores do que as praticantes de dietas saudáveis. “Por isso é importante começar o dia com um café da manhã que inclua alimentos que aumentam a disposição, como pães integrais, granola e frutas; evitando longos períodos de jejum”, ressalta Keila. Como lanches entre as refeições principais, ela indica biscoitos integrais, sementes oleaginosas (como nozes, castanhas, amendoim e pistache), iogurtes, sucos, chás, sanduíches naturais e frutas. “Evite gorduras, especialmente no almoço, pois elas tornam o processo digestivo mais lento e podem prejudicar sua disposição, causando sonolência no período da tarde”, alerta. Conforme Keila, o contrário também é prejudicial. “Consumir menos comida do que o necessário, e de má qualidade, pode causar fraqueza, indisposição e dificuldade de raciocínio”, enfatiza.

Para garantir disposição
Conforme a nutricionista Keila, a hidratação também é de suma importância para que o corpo funcione com a eficiência total. O ato de beber bastante água ativa o metabolismo e controla o apetite. Outro cuidado destacado por ela é quanto ao consumo de cafeína. “Seu efeito para reduzir o cansaço é bem conhecido, mas o consumo em excesso pode causar irritabilidade, dor de estômago e insônia”, destaca, complementando que o ideal é não passar de 4 xícaras (225 ml) por dia. Para driblar os efeitos das novas leis relacionadas aos agrotóxicos, a nutricionista indica sempre fazer uma boa higienização dos alimentos, além de dar preferência a frutas e verduras da época e de procedência local. “Fora da estação adequada é mais provável que o alimento tenha recebido mais cargas de agrotóxicos e, além disso, buscar feiras que valorizem os agricultores da sua região é uma boa sacada, pois aqueles produtos que percorrem longas distâncias, normalmente são pulverizados depois da colheita”, explica. Outra dica é cultivar sua própria horta em casa e manter uma rotina para priorizar a alimentação correta, afinal, criar hábitos exige tempo e dedicação. “Para melhorar sua alimentação é preciso investir em organização. Programe cada refeição, tenha sempre frutas – pelo menos três porções por dia – e opções de lanches saudáveis, e carregue uma garrafinha de água sempre com você”, recomenda Keila. Preparar marmitas saudáveis e manter saladas sempre higienizadas e picadas na geladeira, prontas ao consumo, acaba com as desculpas e com a preguiça.
VOLTAR PARA O INÍCIO